Tuesday, April 28, 2009

além dos palcos



Quando me perguntam porque eu vou todo ano no Coachella não dá mais pra falar que é por causa do line up e ponto. Primeiro porque dependendo do ano- como foi o caso em 2008, outros festivais tinham um line up que eu gostava tanto quanto o Coachella. Depois, porque já tá na cara que minha diversão por lá vai além dos shows.

Eu amo tudo que precede e envolve o festival. A Califórnia, o sol 24/7, Los Angeles, a estrada até Palm Springs e todas as cidades que a gente passa. 
O outlet na estrada, o café da manhã americano. Amo a tranquilidade de Indio e cidades vizinhas com sua faixa etária populacional média de 83 anos e aquela paz de quem não tá nem aí pro The Cure ou YYY.

Me divirto horores no caminho do estacionamento até a porta do festival quando a gente passa por galinhas e cavalos (pois é, o Coachella Field é um campo de pólo equestre).

Amo finalmente entrar no Coachella e ver antes de qualquer coisa aquele visual lindo. Palmeiras na frente e o deserto ao fundo. Onde acontecem os sunsets mais bonitos e o céus mais estrelados do mundo.


Amo a organizaçao, a graminha macia e limpa, a galera linda, uns loucos e figuras.
As pessoas dando um bodinho no chão e ninguem roubando as mochilas delas, a meninas de biquíni no meio de multidão sem serem "incomodadas", ninguém empurrando ninguém. (Quase) Ninguém bebado caindo em cima de (quase) ninguém. 
Essa última parte comportamental eu nunca entendi direito se era uma vantagem de festival nos Estados Unidos ou da Califórnia, até que li no NY Times uma matéria que descreve o público do Coachella como "Mainly educated, grown up and employed".

E óbvio que o line up é incrivel. Óbvio que as grandes voltas dão a expectativa e a sensação de que a gente tá vendo um momento histórico (Pixies, Jesus and Mary Chain, Rage, ...). Eu gosto até dessa mistura engraçada de entre as mais de 130 bandas aparecerem alguns discursos políticos (tipo Henry Rollins esse ano e Sean Penn em 08), além da mistura pop -indie, grandes e pequenos. 

Mas entre meus motivos fúteis, banais e maiores e histórias pessoais vividas em cada Coachella, fica meio complicado racionalizar direitinho porque eu gosto tanto de lá. Escolhi umas fotos de 2009 pra ajudar.






6 comments:

Bazzan said...

fui uma vez só mas também amei, acho que o povo além de educado é mais simpático também, puxa assunto, gostei muito da dinâmica do pessoal e realmente acho que é a melhor combinação entre mainstream e indie, ano passado fui no bonnaroo e esse ano irei ao glastonbury, mas sinto falta do coachella

Thais said...

Sabe que eu ia escrever o MESMO post? Haha!

Mas o meu ia incluir a farofa com os amigues, novidade de 2009. Ano passado eu me comportei por demais.

Gonzales said...

as vezes eu me pego falando pros amigos que nem precisava da música... que só o astral do lugar e da galera já vale!

Bruneco said...

Valeu meninas. Mesmo nao encontrando vcs e segui algumas das dicas e me dei bem. Meu festival foi mais solitario. Nao achei brasileiros mas conheci canadenses, que sao mais gente fina que americanos. O Camping eh animal e vcs deviam tentar um ano. Tem mulheres e todos os tipos e vcs com certeza se enquadram em alguma delas.
bjao e ateh ano quem vem.
Vou aproveitar o embalo e ir nos de londres pq dia 23 sigo pra la pra arrumar teto e trabalho.

na garagem said...

paz é isso, paz! falta isso no brasil. a força da musica muda cabeças. Os nossos festivais faliram. Porquê? Este blog é massa

bussainchains said...

Que sonho essa vida de Coachella!
"Mainly educated, grown up and employed" é o meu caso!! Infelizmente os festivais da minha Bela Horizonte vão na contra mão deste sentimento, eles são cada vez mais para adolescentes (11 anos), depravados e filhinhos de papai que acham que tem o rei na barriga.

Parabéns pelo blog!