Thursday, January 31, 2008

BK news


O Ben Kweller anda dividindo seu tempo entre o estudio e uns shows meio perdidos aqui e ali.

Durante a tour do ultimo album ele escreveu vaaarias musicas pro novo "Changing Horses.." diz ele mesmo no benkweller.com. O lancamento ta marcado pra essa spring - que e logo mais - eba!

Eu, como boa fa que sou, vou dirigir 3 horas pra pegar um dos showzinhos que rola sexta que vem em Maine. Veremos se dessa vez eu dou sorte de novo e volto com foto das jaquetas combinando :)
*Update:
Nao rolou foto dessa vez devido a quantidade de 18-year-olds por metro quadrado, mas tem video de Wasted & Ready aqui. BK rocks!

Wednesday, January 30, 2008

my own private Coachella

O magico por-do-sol

Enquanto eu nao escrever um post sobre o Coachella ja sei que nao vou conseguir seguir em frente com os outros assuntos. Entao vamos la.

Sim, eu tambem me decepcionei com o line up e mais uma vez senti que a Lei rege a minha vida. Ai tive vontade de ser mais rapida que todo mundo e sair correndo atras de todas as bandas xpto que eu nao conheco na bendita listinha. Mas mudei de ideia.

Em 2006, passei pela gastrite-loaded fase de querer conhecer todos os hits de todas as bandas que eu fui ver em todos os clubs de todos os bairros de Boston. Aprendi muito, e nao assimilei nada. So sei que eu me identifiquei com algumas delas porque essas sao as que eu nao deletei do sistema. Portanto nao me pergunte o que eu acho do cabaret style dos Dresden Dolls porque eu nao lembro (mas nunca esqueci do Coin-Operated Boy, que parecia ser um brinquedinho bem legal).

Mesma coisa com o Coachella. Resolvi nao ir atras e nem querer saber mais dos The isso ou The aquilo porque vai chegar na hora e apesar de saber o refrao, eu nao vou saber se to cantando com o magrelo la em cima porque eu gosto mesmo ou porque e o hype do momento.

Por outro lado, troquei todos os cds que eu tenho no carro pelos das bandas que estao no line-up, que eu ja adoro e que tem historia na minha vida. Tem sido uma delicia saber que se possivel eu vou ver todos eles ao por-do-sol do deserto de Indio (Haja por-do-sol, eu sei, mas tem outra hora magica em festival de musica?).

The National, My Morning Jacket, Cold War Kids, Mark Ronson, M.I.A., Rilo Kiley, Death Cab, Raconteurs, Justice, Simian, Stephen Malkmus, Rogue Wave, Roger Waters e Verve... ai vou eu!

Sunday, January 27, 2008

* Já to me conformando com o line up do Coachella. Minha decepção não é porque não tem banda boa. Magina. Mas é que muuuuita gente ficou de fora. Ainda mais se a gente for comparar com o presente de Deus que foi o line up do ano passado, quando parece que todo mundo que eu ouvi nos 2 anos anteriores (mais uns que eu nao ouvia desde a adolescencia, tipo Rage) estava la.
Só não entendi isso. Mas OK. I will survive.
* O video novo do Arcade Fire pra Black Mirror vai ter uns icebergs e uns homens- piramides bem estranhos. Olha ai, no blog do diretor do video.

Tuesday, January 22, 2008

Coachella 2008


Há alguns meses que parte da minha rotina – entre acordar, tomar banho e vir pro trabalho...- inclui uma checada básica no coachella.com pra ver se o line up saiu.
Desde que eu e a Mariana fomos no Coachella 2007, tivemos os 3 melhores dias das nossas vidas e ganhamos os ingressos para 2008, que a gente espera por esse dia ansiosamente. E o dia é hoje.
Entre algumas bandas que eu sou louca pra ver – The Verve, Death Cab for Cuties, Racounters, Portishead, Mark Ronson, Justice, Plasticines, My Morning Jacket, New York Pony Club- poucas que eu já vi e outras váaarias que eu nunca ouvi falar, preciso de um tempo pra assimilar e avaliar esse line up.
Mas já sei que hoje oficialmente começa a correria de baixar música no emule.

Wednesday, January 16, 2008


Tuesday, January 15, 2008

Control


Olha, tem certas coisas na vida que eu sinto uma certa vergonha ao assumir. Uma delas e de que eu nunca fui fa de Joy Division. Nao que eu nao gostasse do pouco que ja tinha escutado, mas por pura falta de interesse em ir mais a fundo no assunto.

O negocio mudou um pouco quando eu comecei a gostar de Interpol, e depois passei pela fase She Wants Revenge. Com tanta gente falando das influencias aqui e ali, nao tinha como nao ir atras dos pioneiros do genero. Ainda sou fa de Interpol, mas numa boa? Cansei bastante da outra banda. A receita ficou velha e eles nao conseguiram evoluir dali pra frente. I want revenge.

Ha umas tres semanas ouvi falar sobre "Control", o filme que conta a historia da vida do Ian Curtis, a alma do Joy Division. E foi entao que eu descobri que o cara era genio-poeta-incompreendido-que-se-suicidou-aos-23-anos-de-idade. Ai sim interessou. Se tem uma coisa que eu curto e gente complicada.

Entrei em casa ha uma hora e tirando o tempo que eu passei escrevendo esse post, gastei o resto exclusivamente com Googles, YouTubes e Hype Machines sobre ele, a musica que ele escreveu, a doenca que ele tinha, a mulher que ele traiu e a banda que ele liderou. Virou a obsessao da proxima semana.

Foi dificil encontrar um cinema em que "Control" estivesse passando por aqui (!), e por sorte, a atracao do Brattle Theater (o cinema indie de Harvard Square) de hoje a noite era exatamente essa. Alias, o negocio ia alem: pagando so uma entrada, voce podia assistir a esse filme e ao "Kurt Cobain" About a Son" na sequencia. O que soa muito interessante, sim, mas.. seria muita emocao pra uma noite so. Fora que ia ser esquisito viajar da Inglaterra dos late 70's pra Seattle dos 90's na mesma noite.



resolvi dar um empurraozinho na musica que ja ta tocando na sua cabeca

PS: O ator que faz o papel do Ian e a cara do Pete Doherty. E por essas e outras que eu acho que ele devia manter contato com a industria cinematorocktragica.. do jeito que o amigo libertino anda, ja ja precisam dele pra outro filme.

Thursday, January 10, 2008

do it, alright!

Foi registrado o primeiro loop de 2008.

The Go! Team - "Doing it Right"


ps: a banda (a la CSS) tocou no Coachella do ano passado e tem nome na lista dos cotados pro festival desse ano tambem.

ps2: eu acho que o visu do video combina bem com o do blog, nao e nao?

Saturday, January 05, 2008

"honest to Blog?!"


E foi com essa, entre outras falas engracadinhas, que comecou
Juno, o melhor filme que eu fui ver no cinema nos ultimos tempos.

Quando uma coisa dessa me acontece muito provavelmente os sentimentos vao de querer ser amiga da (o) personagem -fato ja debatido no TWM - a ser produtora de trilhas sonoras pra filmes bacanas. O ultimo nao sendo so um sentimento, mas tambem considerado um objetivo remoto pra minha vida. Outro fato notavel e a comparacao do filme em questao com Garden State. E como se Garden State fosse o termometro, a linha divisoria entre os filmes indie sem pe nem cabeca e aqueles do Will Smith em que ele salva o mundo (todos?). Enfim, eu comparei e pra informacao de todos os "eu preciso ser fa de G.S. pra ser cool", Juno ta ali, pau a pau. E e acho incrivel como tem gente que me faz sentir como se estivesse blasfemando quando faco um comentario desse. E se voce acha que eu to exagerando, voce nao conhece as pessoas de quem eu to falando. Entao deixa essa parte pra la, porque comparacao tambem nao leva a nada.

Entao, a outra coisa que me fez feliz em assistir Juno hoje foi que o filme me trouxe de volta uma antiga paixao, os
Moldy Peaches. A banda do Adam Green (bff do Ben Kweller) e da Kimya Dawson (a cantora de melhor voz e pior cabelo da historia) estao espalhados pela soundtrack inteira. Da pra ouvir trechos e comprar as tracks no iTunes, mas o My Old Kentucky Blog tem o link - free! - pra melhor de todas, "Anyone Else But You".



O Jenerator mostra algumas das falas bacaninhas. Segundo o diretor Jason Reitman, o filme nao seria o mesmo se Diablo Cody, a roteirista e escritora de Juno nao tivesse blogs a vida toda, mas ainda explica que ate o mais insider dos adolescentes pode ainda se sentir um pouquinho por fora. Ufa.

E como diz o proprio Old Kentucky: "Have you seen Juno yet? Stop what you're doing and just go".


- Update -
Premios que Juno levou nos nao-Golden Globes de domingo:
Diablo Cody - melhor roteirista
Juno - melhor comedia

:)

Wednesday, January 02, 2008

Festa de Ano Novo

* Eu tenho resistido bravamente a usar o Twitter. Mas as vezes quando quero escrever rápidos pensamentos sem aprofundamento nenhum, sobre assuntos diferentes, dá vontade.

* Minha festa de ano novo foi igual quase todo ano. Eu continuo não gostando de festa de ano novo e vou obrigada.
Não que eu não goste de ver as pessoas felizes, bonitas, de branco, na praia. Eu gosto do alto astral e de estar com meus amigos também em alguma praia maravilhosa da Bahia. Mas eu odeio a pressão de TER que me divertir. Eu odeio a expectativa geral pré festa. E encontrar as pessoas no dia seguinte e todo mundo me dizer que saiu da festa as 8h da manhã e que foi o máaaximo. E eu sempre fico sem graça de falar que saí as 3h e que a musica estava uma bosta.

* Sim, porque na maior parte das festas de reveillon na praia a música é horrível. Nessa festa, os organizadores chamaram alguns amigos para tocar com seus iPods. Depois de um tempo tentando ser ecléticos e misturando Nirvana com Parapapapá- a música funk do Tropa de Elite- (essas 2 foram as melhores) os DJs começaram a só tocar dance music do inicio dos anos 90, tipo “girl...hold on”. E eu tinha certeza que estava em uma festa de casamento. Cheia de noivas.

* Bom, no meio dessa desgraça, alguém tocou uma música que eu gosto e não sei o nome nem de quem é. E é uma música mega tocada, que deve existir ha uns 20 anos, todo mundo conhece e deve ser de alguma banda tipo...os Beatles. Uma parte da letra fala "...the Sky is Blue...".

Enfim, uma daquelas coisas que faz você se sentir ignorante musicalmente. E hoje li um artigo bacana de um colunista do Guardian que fala sobre a liberdade que traz alguma ignorância musical. Está aqui. Pronto. Vou começar 2008 me sentindo menos ignorante e mais livre.