Thursday, October 30, 2008

Panama y MGMT

* O Panamá não é um país de grande riqueza musical. Os únicos shows não- latinos que vão acontecer lá esse ano são Duran Duran e Maroon 5, em Novembro. E eles estão felizes com isso.

* E adivinha qual a primeira música que eu ouvi no carro de um panamense lá?
Essa mesmo aí de baixo.
Dos mesmos caras que estão em um matéria na Rolling Stone Latina desse mês.
E que saíram com o hino do Verão na matéria sobre o melhor dos festivais de 2008 na NME. E no resto do mundo a gente sabe...

* Pra mim, os hits ótimos somados a esse sucesso cria uma expectativa que deixa qualquer um mais pré-disposto a gostar do show. 
Porque não venha me falar que os solos de guitarra psicodélicos e os momentos instrospectivos que acontecem em todos os shows do MGMT são legais que nãaao dá pra concordar. 
Mas como já dizia alguém inteligente, gosto não se discute.
E Ok, eu delirei mais uma vez com Kids.


Friday, October 24, 2008

Timfa e as Recorrentes Encoxadas

* Primeira conclusão da semana: é maldade fazerem um Tim Festival (mesmo que miado) na mesma semana da Mostra de Cinema. Mas é mais maldade ainda fazerem os 2 na semana que mais trabalhei no ano.

* O festival pode estar sendo micado, mas os defeitos - já  comentados por Deus e o mundo- e qualidades são exatamente os opostos do ano passado. Bacana uma tenda menor, sem faltar nada básico (aka ÁGUA) e sem empurra-empurra. Vamos ver hoje, sabadão.

* Eu decidi que também posso ter uma banda. É só chamar o Har Mar Superstar pra fazer participações nos shows que pelo menos fica divertido. Não que o Neon Neon seja ruim. Mas foi o fofo que causou a comoção maior no show deles, e fez uma graça extra encoxando os Klaxons.

Vídeo roubado da Flávia Durante

Minha memória é péssima, e eu confundo pessoas e situações, mas na hora tive um Deja-Vu. E eis que lembrei que o Har Mar protagonizou a mesma encoxada no show doido do Black Lips no Coachella 08. Ele nasceu pra isso.

Encoxada no Black Lips no Coachella

* Nem acho que 2006 parece o século passado. E nem ligo que Klaxons só tem um CD. Talvez esse show não tenho sido tão enérgico quanto o que eu vi em 2007, mas foi divertido e ninguém parou de dançar no show todo. Tudo bem que é The Flash, só durou 1 horinha. Mas a gente já sabia que eles só tinham um CD né?

Vídeo do Lucio Ribeiro

Wednesday, October 22, 2008

The City..

.. tambem conhecido como The Hills goes East.

Estreia em Dezembro :)

Thursday, October 09, 2008

Johnny Flynn ao vivo

Em um Clash ainda vazio, Johnny Flynn - eu tinha escrito sobre ele no no donnuts - subiu no palco, bem modesto, se apresentando e dizendo que ia tocar "a few songs" pra gente antes do Young Knives.
Os 25 anos que parecem pouco quando a gente só ouve a voz forte dele, pareceram muito quando o menino subiu no palco e mostrou o rosto de - perfeitos - 18 anos.

Mesmo sem banda, sozinho com seu violão Johnny preencheu o Clash com seu folk lindo e suas letras românticas. E olha que gato desse jeito, nem precisava cantar tão bem.

Essa é The Box, minha favorita.

Lysergic Bliss

Porque no dia 21, quem comprar Skeletal Lamping do Of Montreal em formato de CD - ou vinil! - e a mulher do padre. Legais mesmo sao os adesivos. E a lampada. E a bolsa. E as camisetas.

So nao joga fora o papelzinho com o codigo quando receber o pacote pela Fedex. Ele e que vai te garantir o download do album online. Afinal, novidade pouca e bobagem mas no fim da historia e a musica que paga a conta.

Tuesday, October 07, 2008

It's Britney, Bitch.

* Eu adoro os ups and downs da Britney. As surtadas, internações e engordadas (que falta de humanidade, Fernanda), seguidas das voltas à música, a praia e as emagrecidas. Mas o que eu mais adoro é quanto os Estados Unidos é obcecado por ela.

* Por exemplo, qualquer aparição de calcinha ou absorvente (eca- sem foto) da Britney nos EUA é muito, mas muito mais grave do que uma quase overdose da Amy na Inglaterra, de sutiã na rua, descalça, com a cara sangrando.

* A Rolling Stone escreveu uma vez sobre Britney que “what the world wanted of her: that she was created as a virgin to be deflowered before us, for our amusement and titillation.”

* Mas é um pouco mais. Britney representa tudo que os EUA são. O que querem ser e por outro lado, o que morrem de medo de ser. A linda jovem mãe de 2 pimpolhos de bochechas rosadas. Mas que desequilibra e quase derruba o filho pra segurar seu Starbucks Caramel Machiato ao mesmo tempo.

A platinum loira magrinha que em um surto fica obesa e raspa a cabeça.

Que declara que sustenta uma corja de parasitas, mas que a gente sabe que não vive sem eles. A celebridade que foge dos paparazzi. Depois os ataca com um guarda chuva. Depois namora um deles.

América’s sweetheart X Britney the bitch.

Britney é a dicotomia doentia americana.

* Mas tudo isso para falar não só Long Live to Brit, mas porque adorei todos os remixes de Womanizer que saíram semana passada, com menção honrosa para o do Teenagers.
Estão todos
aqui.
E meu favorite
aqui
----------------------------------------------------------------------------------------
obs: Post originalmente publicado no meu 2o filho novinho, no donnuts
obs2: Acho que roubei esse título de um post antigo da Thais, mas não tem jeito melhor de apresentar a Britney.

Sunday, October 05, 2008

Lykke Li + Victoria's Secret

Discussões de Indie X Mainstream a parte, é engraçado ver uma música (Little Bit, umas das melhores, by the way) da meio hipponga Lykke Li vendendo sutiã da mega perua-glamourosa-sexy Victoria's Secret.
E pior que combinou.


Friday, October 03, 2008

Yelle

Até outro dia Commes des Garçons pra mim era só a marca de roupas do Rei Kawakubo, que tem uma loja linda em NY que lembro de ter ido pela primeira vez quando eu era pequena, com minha mãe.

Mas na terça feira descobri que é um hit bombadíssimo. Pelo menos entre as 600 e poucas pessoas suadas, apertadas porém felicíssimas que estavam chez Clube Glória.
Sempre achei o som da Yelle chatinho. Mas o show da moça surpreendeu, muito graças a animação da platéia, que não sei como não morre de calor no Glória. 
Justiça seja feita, as músicas são realmente bobinhas e repetitivas, mas Yelle (que chama Julie) além das roupinhas moderninhas e charme francês, tem seu carisma. E o show até terminou com uma Yelle do rrrrock.


Thursday, October 02, 2008

Da Irlanda

* Quando ouvi pela 1a vez Fight Like Apes me chamou a atençao a voz da Mary Kay, que tinha alguma coisa de Karen O. E que começa a cantar fofa e no meio da música, rola uma virada e ela enfurece. A música era essa aí, Jake Summers, no vídeo ao vivo em Dublin, terrinha deles.

* Jake Summers, por sinal, foi um ator pornô de Hollywood, até onde eu descobri.

* Desde o começo do ano o Fight Like Apes está excursionando pela Inglaterra abrindo para Ting Tings. Tocaram no Glastonbury e parecem já ter uma legião de fãs europeus. Fãs-blogueiros que idolatram as performances ao vivo e escrevem que estão em crise porque o álbum novo - Fight Like Apes and the Mystery of the Golden Medallion, lançado semana passada- soa muito mais limpo que o som anterior. Confesso que não me preocupei em comparar.

* Eles tem uns vídeos engraçados mas ruins. E umas letras que falam coisas como “Hey! You! Know your place / You're like Kentucky Fried Chicken / But without the taste".

* O que eu mais gosto neles é essa despretensão. E esse jeitão meio, hum, grunge. Ah, o fato deles terem uma musica que chama I’m Beginning To Think You Prefer Beverly Hills 90210 To Me também ajudou.

* Essa é mais "séria", mas também é bacana: Lumpy Dough