Friday, January 30, 2009

Wednesday, January 28, 2009

That's Not My Name.

Ziggy e o espacate

Parece que a ultima moda, super in, e ter um alter-ego. Novidade nao e, mas a onda ta voltando com tudo. Seguindo a linha dos poetas emo da Literatura Brasileira e do sempre sabio tio Bowie (que criou o Ziggy Stardust pra nao chocar milhoes quando saisse vestindo meia calca e maquiagem), menininhas pelo mundo afora nao resistem a mystique que um novo nome, nova personalidade oferece.

A Beyonce, como voces ja estao carecas de saber, casou com o mega mogul Jay-Z. E ia pegar super mal se ela saisse rebolando por ai, de shortinho e alianca no dedo. Entra Sasha Fierce, que e a Beyonce sem tirar nem por, com a excecao de uma luva de metal e voz de robo em uma ou outra musica. Tudo pra manter o espirito jovem, nao sentir o peso do casamento e despistar rumores de uma gravidez proxima. Ok, exagerei nas conclusoes, mas licenca que elas fazem sentido.


Beyonce x Sasha Fierce = tudo igual

Tudo muito lindo no mundinho indie ate que a minha super idala Natasha Khan me resolve fazer a mesma coisa. Pra quem nao conhece, a Natasha Khan, a.k.a. Bat for Lashes, faz a linha neo-hippie, usa faixa de paete na testa com maquiagem de indio Xavante. Ja a Pearl (nome classy que a Natasha escolheu pra sua outra metade), ganha a seguinte descricao:

“destructive, self-absorbed, blonde, femme fatale”

Natasha x Pearl

Ou seja, Natashinha cansou de ser cool. Resolveu apelar pro estereotipo de qualquer participante de reality show da tv Americana. Mas nao vamos julgar, o album novo do (da?/de?) Bat for Lashes sai em abril e e inteiro baseado na ideia de dois lados, duas personalidades. “Two Suns”. Se a musica ainda for a mesma, Natasha/Pearl pode virar BFF da Paris Hilton que ta tudo certo.
Por ultimo, entram TODAS as personagens do “Invisible Monsters”, escrito pelo Chuck Palahniuk (Fight Club, Choke). O primeiro livro que eu leio em 2009 cai como uma luva no assunto alter-ego. E e otimo. So nao rola ir adiante na descricao sem dar spoilers, entao fica a recomendacao.

E ai que fico eu aqui pensando: cade o MEU alter-ego? Cade meu nome brega e atitude duvidosa? Foi quando eu parei pra escolher as caracteristicas da outra EU que mudei de assunto e comecei a pensar em Mad Men.

Todas as materias, os elogios, os premios e twits sobre Mad Men nao foram suficientes pra me convencer a embarcar no seriado enquanto a 1a temporada era transmitida pela AMC. Mas nunca e tarde, e eu finalmente programei a nossa conta no Netflix pra me mandar todos os episodios ate eu alcancar o resto dos fas.

2 DVDs mais tarde, me entreguei a mais uma velha obsessao (tema curioso, recorrente nesse blog): os anos 60 e todas as alegrias que a decada pode proporcionar.

Focando nos aspectos mais interessantes que a serie reproduz super bem:

- A alegria de ver todo mundo fumando despreocupado, sem a paranoia do “preciso parar”. Cigarro era charme, era glamour, era bacana.

- A felicidade de tomar um coquetelzinho a qualquer hora do dia, seja na reuniao com o cliente, durante o papo com a vizinha ou na festinha das criancas.

- A liberdade de se entupir de maquiagem: base, rouge, batom, lapis na sobrancelha, e muito, mais muito laque e nao parecer uma palhaca na rua. Afinal, voce nao e a unica.

- E, por fim, a moda. Muito tule debaixo da saia, cinta liga que afina a cintura, salto-alto em dia de faxina. Feminilidade assim, em todo lugar.



Juntando A com B.
E por essas e por outras, meus amigos, que o meu alter-ego e uma dona-de-casa de suburbio nos anos 60. Uma dona-de-casa chamada.. Charlotte.

Betty Draper wannabe.

Charlotte nao se incomoda em nao ter um emprego, seu sonho e poder fazer a apple pie perfeita pro marido, e gasta ho-ras lendo os catalogos de moda. Charlotte organiza cocktail parties pras vizinhas, enche o caneco as 2 da tarde e passa aspirador no carpete lilas rapidinho antes de fazer o jantar.

Charlotte tem planos pro futuro, mas eles nao vao alem da programacao familiar, do martini no jantar ou da manicure as quartas-feiras. Charlotte e feliz. Limitada e feliz.

Charlotte e meu alter-ego do momento. Quando cansar eu escolho outro.

Tuesday, January 27, 2009

She Bangs 2- Cult Version

Eu cortei o cabelo por causa da Catherine Deneuve. Ou do Roman Polanski.

Lendo o post de franjas da Thais, lembrei que foi quando vi Repulsa ao Sexo nas férias com a família da Ma (que escreve o No Donnuts comigo) que acordei no dia seguinte decidida a cortar franja.

Eu sei que as perguntas que ficam é : que tipo de pessoa vê um dos filmes mais importantes do cinema e talvez o maior da carreira do Polanski e presta atenção em uma FRANJA. OU que tipo de família aluga Repulsa ao Sexo pra assistir com as crianças na sala.
Mas eu sou assim. E a família da Má é assim.

Repulsion foi considerado um dos filmes que melhor retrata a esquizofrenia. É o melhor exemplo do que é um triller psicológico. A gente tem medo, mas do que está na cabeça das pessoas.
Aos poucos a gente vai se envolvendo mesmo que sem entender o processo de enlouquecimento da manicure Carol, que no começo do filme parece uma menina normal e vai ficando perturbada, fora da realidade, com aversão a homens e inesperadamente perigosa, violenta . A sensação que fica é desconcertante. Fica também um medinho de deixar suar cutículas na mão de qualquer manicure.
------------------------- carinha de menina normal ------------------------

Mas o que eu posso fazer se o mais incrível do filme pra mim foi a estética linda?
A fotografia de tudo: o salão que a personagem Carol trabalha, seu apartamento, Londres, até as cenas nojentas de um coelho cozido que deteriora e principalmente a Catherine Deneuve toda, inteira e completa. Suas roupas de sonho, seu rosto perfeito e ela, a franja.

*Parentêses:
Os cartazes e capas de DVD do filme são todos tão lindos que tava difícil escolher um pra postar. Então os outros tão aqui também.

Saturday, January 24, 2009

Sleepyhead

O ano comecou, ja ja chega Fevereiro e a sensacao que eu tenho e de que se eu nao registrar, daqui a pouco e 2010. O furacao de coisas acontecendo a minha (e sua) volta deixou uma sensacao de anestesia, de assistir a vida atraves de uma janelinha em camera lenta.

Vai ver e o inverno, sabe. Winter blues.

Mas entao. Tem umas coisinhas que eu quis colocar no blog, expressar opiniao, enturmar nos papos do Twitter e acabei nao fazendo por preguica.

Por exemplo, Oscar, Golden Globes, Award Season em geral.

Cara, nao achei Benjamin Button aquela coisa, nao. O filme e bom, so nao me surpreendeu. Achei que com Brad Pitt, Cate Blanchett, quilos de maquiagem e uma historia assim, curious, nao tinha como ser ruim.

A minha surpresa veio com The Wrestler, o filme que trouxe o deformado Mickey Rourke pra debaixo do holofote. Todo dia eu ainda me pego pensando em uma ou outra cena em que ele me fez chorar ou de rir ou de do. Meu favorito. Ram Jam.


"What can I get you, good lookin'?"

Obama e presidente! God Bless America e que essa super vibe P.L.U.R. continue pelos 4 anos que estao por vir. Ninguem trabalhou na terca, foi Inauguracao online e na TV do bar mais proximo o dia inteiro. Metade da minha familia me escreveu, ligou, mandou telegrama perguntando como tava a emocao por aqui. Tava emotivo, uai. Sai da revista as 5 e cheguei em casa as 7, gracas ao bando de gente nas ruas, e olha que tava frio. Mas no fim das contas, da uma sensacao boa de fazer parte, estar perto desse “capitulo da historia”, como os gringos adoram colocar. So nao vai achar que pode sair com chapeu da Aretha nas ruas porque o negocio nao ta TAO liberal assim, ainda.

Ta bonito!
Nao esqueci que amanha e aniversario da minha querida Sao Paulo, que fica sem a acentuacao certa por conta do meu teclado yankee. No meu ultimo dia ai, levei o Nate pra conhecer o Sky e a lembranca da Paulista a noite, com as antenas, predios e luzes me mata de saudades toda vez que eu resolvo pensar nela.


Sem parte da letra de 'Sampa' embaixo da foto, please.
Mudando de CEP, em Fevereiro abre a filial Bostonian do House of Blues. Mais um lugar pra ver as bandas que vem visitar os filhos de Harvard. Cut Copy toca em Marco, Lady GaGa no fim do mes. E gracas aos queridos interns da Improper Bostonian, eu agora sei quem e Lady GaGa e qual o single novo da Kelly Clarkson. So nao me rendi a Katy Perry, obrigada.


Parte Ziggy Stardust, parte Donatella Versace.

Falando em musica. A mania do momento e checar o Coachella.com pra ver se saiu o line-up. Mas vou guardar esse assunto pra mais tarde, porque vai render posts no TWM - e como vai.

Falando em obsessao. A da semana passada foi escutar “The Fear” da Lily Allen no repeat, pensar em cortar a franja no repeat, e hesitar no repeat. Ai chegou essa semana e eu fui novamente distraida pelos meninos do Passion Pit. E virou obsessao, Chunk of Change nonstop. Eles, alem de serem meus quase-vizinhos (exagero, eles moram em Cambridge, do outro lado do rio), estudam na mesma faculdade onde ano passado eu aprendi sobre Punk Rock, a Emerson College. Orgulho!

Passion Pit toca aqui no comecinho de Fevereiro, logo depois de lotar o Bowery Ballroom em NY. Consegui convencer meu editor a me deixar escrever sobre eles, ao inves da carreira solo country do vocalista do Hootie & The Blowfish (??), entao publico o textinho aqui mais tarde. Ha uma remota chance de eu conseguir ingressos pela revista, feito ainda inedito, vou torcer.

"- come on dude, give me back my glasses"

Aqui, o video de “Sleepyhead”, que entrou pra lista dos 40 Melhores de 2008, pelo Pitchfork:



So nao esquece que eu avisei que VICIA.

Wednesday, January 21, 2009

Top Presentes de Aniversários

Eu não entendo como tem gente que não gosta de aniversário. 
Em um dia que você come bolo, brigadeiro, bebe todas, vê seus amigos e ganha presentes QUE HORAS dá para ter crise de estar envelhecendo, de avaliação da vida, etc?
Eu pareço criança de 12 anos no meu aniversário. E a coisa que eu mais gosto é de ganhar presente. Pronto falei.
Fora todos os presentes imensuráveis (só pra não parecer tão materialista) normalmente relacionados as pessoas queridas estarem por perto, tocarem pra você na sua festa, fazerem
surpresas, etc, alguns dos presentes que eu mais gostei esse ano são esses aí:

Minha mãe fez chocolatinhos-lembrancinhas com meu nome. Falei que eu tenho 12 anos.


Livro da vida do Bunker Spreckels com umas fotos deusas. Todo dia que eu abro me dá vontade de sair e comprar uma prancha. E ficar milionária.


Pra ver se eu aprendo a mixar 


Frasqueira do surrrrf. Vai ornar direitinho pra fazer um estilo depois que eu comprar a prancha.


Macaroons franceses.
A caixa fechada é de morrer de linda.

Dá pra reclamar de ter ficado um aninho mais velha?

Monday, January 19, 2009

In Cupcakes We Trust

E amanha!







Thursday, January 08, 2009

She Bangs

... porque se amanha eu acordar com a franja tosada no meio da testa, ja sei de quem suspeitar:

#4 - Miss Kittin, culpada pelo ataque de 2003. O cumplice mais famoso, Frank Sinatra, foi absolvido.

#3 - Chan "Cat" Marshall - condenada pelo envolvimento no ataque de 2006.

#2 - "The City" Erin - Membra nova-iorquina com influencia notavel em telespectadores de reality shows da linha mais conhecida como "futil".

#1 - Lily "The Fear" Allen - causadora de problemas, atual lider da Gangue da Franjola Pesada -G.F.P.
Age por meios subliminares, incluindo mensagens hipnoticas em singles novos, cujo efeito acaba por convencer suas vitimas a escutar a mesma faixa DEZESSEIS vezes seguidas.
O video seguinte oferece imagens fortes e prova a possibilidade de um ataque no futuro proximo:



PS: As fundadoras deste blog NAO se responsabilizam pelas consequencias possivelmente provocadas pela visualizacao das imagens acima. Se voce tambem acordar com o visual Emily, a Estranha nas proximas semanas, veja bem: voce nunca ouviu falar em Two Way Monologue.

Monday, January 05, 2009

Cenoura x Coelho

Eu sou aquele tipo de pessoa que precisa de uma motivacao pra seguir adiante. Nao, perai. Aparentemente todo mundo e assim (?) - ai que mora o engano. Existe gente, sim, que nao respira novidade, ou animacao, ou festa, ou musica nova, ou roupa bacana. E quando eu tento fingir que pertenco a esse grupo sabe o que acontece? Minha criatividade vai pro buraco, nao tenho vontade nem de ler, nem de escutar musica boa, passo o dia todo de pijama e faco panqueca pro cafe-da-manha todo dia. E nao pode, ne. Quer dizer, vai ver a Agyness pode. Eu nao posso com panqueca todo dia. Eu VIRO uma panqueca.

Ai que hoje numa conversa suuuper positiva com a Fe no msn, o tema beirou a minha teoria da Cenoura x Coelho. Sabe aquela cena de desenho animado onde alguem amarra uma cenoura na ponta de um galho e senta em cima do coelho, fazendo o pobre seguir a cenoura for-ever? Entao, eu sou o coelho. Bobinha, se eu nao fizer uma lista das cenouras do proximo mes, nao ando nem pra frente nem pra tras, ai ja viu: panquecas.

Eu tinha pensado em nem escrever muito pra esse post, e so botar aqui as fotos das minhas cenouras favoritas de Janeiro. Antes do papo ficar mais pra porn do que simbolico, vamos adiante:


Chuck Bass volta hoje a noite, tomara que (ainda) descabelado.

Os Raveonettes tocam em Boston dia 15. Viva!

Minha sogra querida captou meus instintos e me deu um Gift Card da Sephora de Natal. Hora de gastar.



Chuck que me perdoe, mas nin-guem supera a volta dele no dia 21.


Ta que o novo do BK ja vazou, eu ja sei as letras e o album so sai na verdade no dia 2/Fev. Mas e BK, da um desconto ai. A Fe fala do KOL em post sim, post nao. Haha.

Sunday, January 04, 2009

Inevitável 1o do Ano

* Acho que o 1o post do ano merecia um assunto novo, mas tem alguns (aka obsessões) que me perseguem, independente do calendário.

* Da penca de revistas que levei nas férias, a melhor foi a mais cara. R$59 bem gastos na Q com um dos melhores ensaios, capa e matérias sobre o Kings of Leon já lidos pela minha pessoa até agora.
* O ensaio é inspirado no lado briguento dos meninos, que depois de beber quebram paus de chegar a porrada. Segundo eles o mais encrenqueiro e bêbado é o Caleb. 
Vindo dele OK. Eu não ía ligar se ele quisesse me bater.

* A matéria também fala muito do lado família e religioso deles, conta um pouco dos parentes e das namoradas. Também foi nessa entrevista que o Caleb contou que teve anorexia na adolescencia e que é inseguro (ai Jesuis).
E fala o quanto os meninos ralam.

O making off do ensaio com as fotos lindas da Q está aqui.

Pra quem ainda não viu os famosos Home Videos  da época do lançamento do album Only by The Night, estão aqui. Tem alguns "engraçadinhos" demais, mas outros com cenas bem boas de gravações e momentos normais deles.

Essa foto do Caleb com a namo- top model- que pesa 40 kgs não faz parte do ensaio da Q. Está no myspace da sortuda. Mas aproveitando meu momento tietagem- descontrol eu achei tão linda que tá aí, vai.