Monday, July 30, 2007

Rakes em SP


Deu até peninha ver o The Rakes fazer um show legal pra tão pouca gente.
O lado bom do Via Funchal estar tão vazio é que além de poder ficar perto do palco dava pra ver todo mundo que estava lá. Eu encontrei vários amigos e até a Flávia.
Antes deles, o Móveis Coloniais de Acaju (eu tinha escrito aracaju) – praticamente um time de futebol no palco- não deixou a peteca cair. Pena que o som tava tão ruim que não dava pra entender o que eles cantaram.

Saturday, July 28, 2007

pretty on the outside

Entre meus blogs de celebridade favoritos esta o Pretty on the Outside. O autor - cujo nome eu ainda nao descobri - define o proposito do blog: "This is an outlet for all things silly".
O cara e desenhista e critico de mao cheia. Vale a pena a visita pra ver as telas imperdoaveis da Lindsay Lohan, Paris Hilton, Britney Spears e qualquer outra celebridade em alta no momento. Claro que ele tem uma preferencia pelas mais malucas, como todos nos.

Friday, July 27, 2007

Humm, então quer dizer que o Magic Numbers tocou até Caetano ontem no show deles.
Hoje tem The Rakes!!

Thursday, July 26, 2007

summer jukebox

Top 10 musicas mais legais do Left of Center da Sirius, no carro, no Hype Machine e no meu iPod - todas juntas, eleitas a trilha sonora do meu verao.

Se Lloyd Dobler vivesse nos dias de hoje, ele ia concordar.


1) The Good, The Bad and The Queen - "Herculean"
pros fas de Blur, Gorillaz e musica boa.


2) Ryan Adams - "Two"
o hit de "Easy Tiger", cd novo do meu queridinho alt-country rockstar.


3) Elliot Smith - "Riot Coming"
relancada com o album "New Moon", ainda carrega o espirito "Good Will Hunting" de Boston.

4) Mando Diao - "Long Before Rock and Roll"
deveria ter entrado pra lista dos Soundalikes (empate entre Strokes "Last Nite" e Libertines "What Became of The Likely Lads"), mas ainda soa original e da uma esperanca pros fas do rock old school.

5) The White Stripes - "You Don't Know What Love Is (You Just do as you're Told)"
todo mundo fala de "Icky Thump", mas eu ainda acho que o Jack White e melhorzinho pro estilo mais classic rock, mais balada, como nos Raconteurs.

6) Velvet Underground - "Sunday Morning"
na onda do Summer of Love, da Edie Sedgwick e do cool de NYC, pra nao esquecer do amor ao retro.

7) Brandi Carlile - "The Story"
ja saiu do loop, mas continua sendo uma das melhores do verao.

8) The National - "Start a War"
quando escutei pela primeira vez, me lembrou Iggy Pop melodico, depois descobri que era melhor que isso. e vicia.

9) Amy Winehouse - "My Tears Dry on Their Own"
nao podia faltar, e com clipe bacaninha do David Chapelle ficou melhor ainda.

10) Wilco - "Either Way"
podia escolher o album todo. "Sky Blue Sky" e o melhor do ano, ate agora.

Tuesday, July 24, 2007

simpsonize me

Ta bom, ta bom, eu ja sei. Nao e novidade nenhuma fazer o bonequinho dos Simpsons com a sua propria cara. Mas e a febre do momento, quem consegue evitar? Entao ai estou eu, tomando uma Duff gelada com o Homer e o Moe - o background mais legal, disparado. E se eu pudesse, adicionaria algumas opcoes ao "guarda-roupa" disponivel, mas as camisetas ate que sao bacanas.

Believe the Hype

Faz uma semana que eu tenho pensado no meu proximo post, que teoricamente seria sobre o aniversario do Summer of Love - movimento hippie revolucionario que virou Sao Francisco de cabeca pra baixo em junho de 1967 (alguem ai precisou da explicacao?).
Lendo a nova edicao da Rolling Stone, entrando na fila pra alugar Factory Girl na Blockbuster, assistindo os especiais da VH1, cheguei a conclusao que eu ja suspeitava: nada seria suficiente pra me deixar satisfeita com o nivel de informacao pra analisar, comparar e concluir.
Ja comentei ha algum tempo a minha obsessao pelo que aconteceu no passado, pelas historias, descobertas, moda, musica e porque nao as drogas, bem mais glamurizadas que hoje em dia.
Com o que eu vi por ai, conheci um lado mais realista do movimento mais legal da historia. Artistas como Eric Clapton contando sobre as bad trips que rolavam quando ele via gente que nao tinha nada a ver com o ideal hippie no meio da galera - mendigos e jovens que fugiram de casa so querendo get high pra esquecer a vida real.
Gente como a propria Edie Sedgwick, relatando o efeito Flower Power em Nova York. Diferente da California, os artistas de la encararam a mudanca de comportamento muito mais friamente, e intelectualmente. Andy Warhol e o seu maior exemplo. Ela comenta em linhas sutis a rivalidade entre as duas costas do pais, e seus principios numa fase em que ambas sabiam que tudo iria mudar.
E claro, a influencia de todo o terremoto cultural sobre a musica e a arte em geral. E so olhar pra tras, ver e escutar historia.
Talvez os meus pais estivessem certos quando me viram escutando Beatles pela primeira vez e disseram "nunca mais houve banda igual". Talvez Clapton tenha tido razao quando disse que naqueles dias voce realmente sentia que pudesse mudar o mundo, mesmo que sob efeito catatonico das doses de LSD.
Hoje em dia a nossa geracao nao tem uma causa, e motivo o mundo tem de sobra. Eu nao me considero a mais politica das pessoas e sei que por muito menos, protestos maiores comecaram um dia, la atras. O que eu continuo me perguntando e qual elemento faria a diferenca, e porque que a gente parou de acreditar, desistiu de discutir e resolveu so assistir pela CNN.com.
E vai ver que e por isso mesmo que eu continuo achando que aqueles anos foram demais.

Monday, July 23, 2007

Covers

Assim como Rob Gordon ( e a Rolling Stone e a Thais) eu adoro listas- apesar de todas as críticas de que elas só tornam as manifestações culturais mais facilmente consumiveis.
E saiu no G1 uma lista das melhores covers de todos os tempos, eleitas pelo New York Post. como qualquer lista pop, ela é bem questionável. minhas preferidas são:
* 9. "Easy" do Commodores cantada pelo Faith no More,
* 24. "All along the watchtower" do Dylan, cantada pelo Jimi Hendrix
* 87. "Hurt," Nine Inch Nails, pelo Johnny Cash- que inclusive eu ja postei aqui (e aqui) como a música mais triste e linda de todos os tempos.

Friday, July 20, 2007

Acabei de ler a história mas sem noção do mundo sobre serviços de atendimento ao consumidor. O atendimento da NET não só parece não resolver nada como ameaça o consumidor de morte. Só faltava essa.

Wednesday, July 18, 2007

Lar é a gente que faz

Eu achei que na hora de H de fazer a mudança de apartamento, eu estaria tão enlouquecida com a parte prática que não sentiria mais todas aquelas sensações e nostalgias que eu contei aqui outro dia.

Mas eu já sou meio sentimental, fiquei lembrando do Zach Braff falar sobre lar no Garden State... e tudo voltou sim. Ver meu ap “da vida toda” vazio só com caixas e saber que ele não seria mais meu nem de ninguém da minha família me deu aquele desespero como se as minhas memórias ficassem trancadas dentro dele e eu fosse perdê-las pra sempre. Mas o legal for começar a por os móveis no ap novo, todo vazio e branquinho e ter a sensação de que ele está louco pra ganhar umas marquinhas de vida e ter suas próprias histórias e lembranças.

20 Craziest Soundalikes

Embarcando na polemica Avril-Lavigne-plageia-a-nao-tao-conhecida-banda-Rubinoos, a Rolling Stone resolveu protestar fazendo a lista das musicas que mais se parecem na historia, seja em ritmo, riff de guitarra, melodia ou seja la o que for.

Algumas delas ja eram tema de conversas com amigos ha algum tempo, mas reconheco que os caras foram mais a fundo e me fizeram pensar "nooossa, e mesmo!" mais de uma vez. Entao ai vai:

1. Jet’s “Are You Gonna Be My Girl” and Iggy Pop’s “Lust for Life”
2. Fergie’s “Fergalicious” and J.J. Fad’s “Supersonic”
3. The Beatles’ “Ob-La-Di, Ob-La-Da” and Offspring’s “Why Don’t You Get a Job”
4. Bruce Springsteen’s “Born to Run” and Blondie’s “X Offender”
5. Nirvana’s “Smells Like Teen Spirit” and Boston’s “More Than a Feeling”
6. Nazareth’s “Hair of the Dog” and the Beatles’ “Day Tripper”
7. The Doors’ “Roadhouse Blues” and Oasis’ “Put Yer Money Where Your Mouth Is”
8. Foo Fighters’ “Monkey Wrench” and Elton John’s “Whipping Boy”
9. Sublime’s “What I Got” and the Beatles’ “Lady Madonna”
10. Wilco’s “Walken” and Spoon’s “Don’t Make Me a Target”
11. Akon’s “Don’t Matter” and R. Kelly’s “Ignition” (Remix)
12. Billy Joel’s “Honesty” and Elton John’s “Sorry Seems to be the Hardest Word”
13. Phish’s “Farmhouse” and Bob Marley’s “No Woman No Cry”
14. Elastica’s “Connection” and Wire’s “Three Girl Rhumba”
15. Bryan Adams’ “Summer of 69 and Green Day’s “Jesus of Suburbia”
16. Def Leppard’s “Pour Some Sugar on Me” and Weezer’s “Beverly Hills”
17. Natalie Imbruglia’s “Torn” and The Black-Eyed Peas “Where is the Love”
18. The Kinks “Picture Book” and Green Day’s “Warning”
19. The Killers’ “When You Were Young” and Bruce Springsteen’s “Born to Run”
20. Pearl Jam’s “Given to Fly” and Led Zeppelin’s “Going to California”

Wednesday, July 11, 2007

Libertine


A Kate Moss e o Pete Doherty nao estao mais juntos (de novo). Parece que na noite em que eles brigaram, o cara foi parar num bar qualquer em Londres e conheceu uma modelo com quem ele acabou passando a noite. A Kate descobriu e acabou tudinho pra sempre.
A modelo e a tal Lindi Hingston - quem? - que ja saiu com caras como Axl Rose e Jared Leto. Ela diz que se apaixonou pelo charme do Pete quase que instantaneamente, e que agora entende o que a Kate ve nele - apesar de nao gostar de estar envolvida no termino segundo namoro mais junkie da historia (Sid & Nancy, hello!).
Minhas analises - que nao necessariamente tem uma conclusao:
1- A historia me lembrou aquela cena de "Despedida em Las Vegas" quando a Elizabeth Shue pega o Nicolas Cage com outra mulher. Ela fica arrasada, e ele nem percebe o que fez, de tao chapado. Vai ver esse e o caso do Pete.
2- A tal da Lindi levou o groupismo ao pe da letra. Lindi minha filha, uma coisa e beijar o Jared Leto. Outra e acordar do lado do Pete Doherty. Certeza que ele nao faz cafe-da-manha pra voce.
3 - Seguindo o pensamento numero 1, voce ja parou pra pensar que na cabeca viajandona do Pete ele provavelmente estava fazendo algo totalmente normal? Tipo, vai ver ele achou que estava filmando o video de "What Became of the Likely Lads?".
De quaquer forma, se o mundo ainda nao foi pro ralo ja ja alguem aparece com uma camiseta "Pete is innocent" e a Kate volta pra ele. Sem panico.

Tuesday, July 10, 2007

White Stripes e shows surpresas

Eu sempre ODIEI boliche com todas as minhas forças. Mas esse video do White Stripes que o Lucio Ribeiro postou é um dos videos da minha vida que mais me gerou inveja por eu não estar lá.
A última deles foi semana passada, segundo o Guardian: um show na YMCA de Toronto, no day care center, tipo de creche para molecada passar o dia, para crianças de 5 a 12 anos. O gerente do lugar achou que era trote quando o manager do White Stripes ligou. A explicação era que Meg e Jack fizeram uma busca na internet por "Toronto" e "fun" e o day care foi o 1o lugar que saiu.
Fazendo a mesma busca no google com São Paulo, deu Funhouse. Será?

Sunday, July 08, 2007

Modern Love


E foi assim que eu me apaixonei por ele, circa 1986. Eu, piveta, imitando a Jennifer Connely no jardim da minha casa, ele vestindo calcas mega justas e usando maquiagem. Sem contar a peruca que a gente nao comenta, porque era um charme, obvio.
Eu acredito que uma grande parte da minha personalidade foi moldada nessa epoca, quando eu virei fa obsessiva de "Labirinto". E eu so tinha 4 anos.
Ate o final dos anos 80 eu lembro de escutar meu pai tocando "Let's Dance" ou "China Girl" na sala, apesar de "Magic Dance" ainda ser a minha favorita. E passados os anos 90 e sua onda popero (quando todos os adolescentes foram hipnotizados pela Nicky French), eu fui atras do Bowie mais bacana, mais maluco: o Bowie-Ziggy Stardust e suas Spiders from Mars. Nessa altura, a psicodelia da fase Bowie que eu acompanhava combinava com os meus anos psicodelicos nas raves trance por ai. E quando eu menos achava que ia reencontrar minha paixao antiga, dei de cara com o remix de "Rebel Rebel" que o meu amigo Lipe Forbes tocou numa festa qualquer, e as portas do rock and roll se abriram novamente.
Nao conheco alguem que nao respeite David Bowie, ou que nao reconheca que as suas fases camaleonicas sao MUITO mais legais que qualquer uma que a Madonna ja inventou. Sem contar que enquanto ele descobria o Arcade Fire e quebrava as pernas de todo mundo com a versao conjunta de "Wake Up", ela provavelmente se arrependia de ter beijado a Britney Spears.
Essa semana o Kendall Square, o cinema alternativo de Cambridge, vai passar "Labirinto" pra quem quiser matar as saudades. E eu vou levar o Hayden - 4 anos de idade, viciado em Spider Man - pra ver que escalar predios nao e nada quando voce e o rei dos duendes. A trilha sonora vem em seguida ;)

Friday, July 06, 2007

Splinter Cell


Ontem eu me senti velha.
Vi pela primeira vez na casa de um amigo um videogame de ultima geração, o Xbox 360.
Como qualquer ser humano eu já sabia sobre a sofisticação dos comandos e imagens e as marcas que agora fazem product placement nos jogos. Mas eu não estava preparada para a experiência ao vivo.
Não tinha tanta graça assistir Enduro ou River Raid. Naquela época a graça era jogar. Mas ontem, enquanto meus amigos jogavam eu fiquei 1 hora hipnotizada igual uma nerd pelos cenários, os personagens e os efeitos mínimos e perfeitos do jogo.
Os personagens são reais demais. O herói do "Splinter Cell" é um gatão careca, de uns 30 e poucos anos, com um humor sarcástico e um rosto vivido, com marcas de expressão que carregam anos de experiência como double agent em perigosas missões. Eu logo vi que ele é um cara sozinho na vida e com pouco a perder. Por isso ele mostrava tanta coragem se safando de uns bandidões e se arrastando pela parede de um prédio. E como se eu tivesse ao lado dele em todos os minutos, eu fui vendo as gotas de suor caindo pela testa quando ele estava em um lugar quente, ele colocando um Ray Ban style quando saiu ao sol, os músculos do braço se contraindo quando ele fazia força para escalar o prédio...

Quando eu percebi eu já tava meio envolvida pelo cara. Eu não estava pronta quando ele morreu com um tiro nas costas, sem direito a nenhuma vida extra. Eu nunca havia me sentido assim pelo Mario Bros.
Nem pelo Luigi.