Wednesday, March 25, 2009

Era piada, gente


Era só um papinho inocente matutino. O Lucio Ribeiro quis saber porque eu não fui no show do Radiohead que eu havia super planejado ir. Ficamos conversando sobre o assunto no MSN, dando risada e tal. Ele postou o papo na Popload. Me fez virar título do post.
Aí eu ri e beleza e pra mim tinha acabado a brincadeira. Ni qui a coisa cresceu.

Amigos e ESTRANHOS me ligaram, me mandaram sms, emails e me procuraram mais do que outras vezes que escrevi ou fui citada na Popload por coisas muito mais relevantes- por exemplo cobertura do Coachella ou minha opinião sobre seriados adolescentes (haha, super relevante).

Diferentemente dos comentários sempre gentis dos leitores fofos da Popload (taí um pessoal educado)- que eu ia ignorar mesmo- pessoas aparentemente normais começaram a se manifestar muito sobre o assunto:
me “agradecendo” por eu não ter ido e ter assumido que caguei pro show. Falando que eu devo ser legal (!), que elas também não foram ou foram e acharam chato mas não conseguiam falar isso pra ninguém sem serem motivo de marginalização, esculacho e chacota publica.

Então só estou escrevendo isso porque, vejam bem, a que ponto chegamos.

1º- se eu fosse um pouco mais sem noção eu podia me achar super libertadora dos oprimidos. Parece que eu dei uma entrevista séria falando sobre alguma atitude ou tema político ou filosófico importante que mude a minha vida e justifique opiniões polarizadas.

- As pessoas estão MUITO mas MUITO chatas pra achar que todo mundo tem que gostar das mesmas coisas, estar nos mesmos lugares e julgar quem não está. O que mais falaram é que eu não quis ir no fucking show pra ser DIFERENTE, ou mais underground, ou sei la. Ou tentando achar um significado escroto pra eu não ter ido.

GENTEEEE, EU SÓ TAVA COM PREGUIÇA.
---------------------------------------------------------------------------------

***O post do Lúcio Ribeiro pra quem quiser ler. (Não levem a sério. Era só uma brincadeira tá?):
-------------------------------
* A PESSOA QUE OUSOU NÃO IR NO RADIOHEAD -
Mas não é bem assim que todo mundo amou o show. Outra amiga, a Fernanda, que viaja o mundo atrás de shows, frequenta baladas indies, bate cartão no Coachella e tudo mais, simplesmente, no dia, com ingresso na mão e tudo, resolveu “pular o show do Radiohead”. Não foi. Não quis ir. Voltou da praia mais cedo em dia de sol e resolveu “pular”.

Com as amigas indo e tudo, telefonando ou mandando vários sms convocatórios inclusive, resolveu desligar o celular, comer Haagen Dazs e assistir seriado na TV.

- Como assim, Fernanda?
“Não fui. Acho que foi uma histeria ao contrário. Era taaaaanta expectativa, tanta gente falando, tanta pilha, tantos sms, tantas ligações, tanta gente marcando de se encontrar, tantos especiais no Multishow, tanta gente falando q a vida ia mudar…”.

- Você não acha que a expectativa absurda, no caso do Radiohead, era justificada? Você não errou na política anti-hype? Você está arrependida? Você está sofrendo perseguição dos amigos por que não foi ao show?
“Estou arrependida até. Eu sei que foi animal, nunca questionei a qualidade da coisa. Mas achei que era melhor eu deixar para ver o show deles numa ocasião menos histérica. E, sim, as pessoas estão tipo me tratando diferente. Outras acham que estou ‘escondendo’ alguma coisa. Sério, está f*da. Mas a real é que fiquei com preguiça de tanta gente junta esperando o melhor show da vida delas. Eu não sou boa com altas expectativas em massa.”

- Beleza, está explicado.
“Você vai botar no blog? Não põe o meu nome. Ou põe, você que sabe. Já sou zoada anyway. Mas não bota meu sobrenome. Para não irem atrás dos meus familiares, haha…”

4 comments:

l. said...

Atire o primeiro travesseiro quem nunca deixou de fazer um programa bacana por preguiça. l.

Angel said...

Engraçados foram os cariocas, "tentando" dançar num show +qd+ teatral. E na hora que pensaram que viria um funk... do Cryptwerk?

E quando eu dormi em pé com uma melodia nananeném de tão melódica?

E eu, nanananado, perder o vôo no dia seguinte?

Malditos!

Rodrigo said...

Genial, Fê. Genial...

tati tsukamoto said...

eu entendo a preguiça!
ela é mais forte do que qualquer 'política anti hype'